Bruno Lessa é advogado formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Durante dois mandatos – de 2013 a 2020 – foi vereador em Niterói (RJ), sua cidade natal. É filiado ao DEM.

Iniciou sua carreira política ainda bem jovem. Filho do ex-deputado Silvio Lessa, Bruno presidiu a juventude do PSDB aos 16 anos e, no ano seguinte, em 2008, candidatou-se pela primeira vez.

Nas eleições de 2012, aos 21 anos, foi eleito com 2.572 votos. No pleito seguinte, obteve o expressivo aumento de 67% de seu eleitorado, sendo reeleito com 4.298 votos. Resultado, certamente, do trabalho de seu primeiro mandato (2013-2016).

Atuante, de postura propositiva e independente, sempre lutou pela transparência na gestão pública, sendo autor de diversos ofícios e requerimentos de informação. Pauta também seu mandato na ampliação dos direitos das pessoas com deficiência.

Entre as importantes leis aprovadas está a que garante vaga em escola pública municipal a filhos de mulheres vítimas de violência doméstica, de acordo com a necessidade de mudança de endereço repentina.

Defensor de uma educação pública de qualidade para todos, Bruno Lessa cobra, incansavelmente do Poder Executivo, melhorias no sistema de ensino. É autor do projeto de lei que determina mais transparência na distribuição de vagas na rede de educação pública.

Em 2013, presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito dos Transportes Públicos, a CPI dos Ônibus, que abriu a caixa-preta dos transportes. Desde então, Bruno trava uma luta pela melhoria do serviço e por tarifas mais justas nos ônibus em Niterói.

Em 2016, foi relator da CPI da Ampla, atual Enel, que investigou os serviços prestados pela concessionária de energia elétrica. Foi também relator do Plano Diretor que determinou novas diretrizes urbanísticas para a cidade.

Nas eleições municipais de 2020, concorreu como vice-prefeito na chapa formada com Felipe Peixoto (PSD).